Institucional

Maio: mês da prevenção do câncer de boca

Publicado 24 de maio de 2019
Maio: mês da prevenção do câncer de boca

No mês da prevenção do câncer de boca, confira as orientações e informações dos especialistas do Serviço de Odontologia Clínica da Santa Casa:

O câncer de boca é um tumor maligno que se diagnosticado precocemente permite tratamento com chance maior de cura. Cerca de 95% são do tipo Carcinoma Espinocelular (CEC), enquanto os outros 5% correspondem aos melanomas, linfomas e tumores de glândulas salivares. O CEC, tipo mais comum, afeta os lábios, a mucosa bucal como gengivas e mucosa jugal (bochechas), palato duro (céu da boca), língua (principalmente as bordas) e assoalho bucal (região embaixo da língua).

 
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estão previstos 14.700 novos casos de câncer de boca no Brasil para 2018, sendo 11.200 em homens e 3.500 em mulheres, sendo o Rio Grande do Sul um dos estados com índice mais elevado da doença. 


Fatores de risco 
A causa do câncer de boca é multifatorial e existem ainda fatores envolvidos neste processo que são desconhecidos pela ciência. Porém já existem alguns que são considerados de risco, sendo o fumo e o álcool os mais envolvidos e os raios UV quando relacionado ao câncer de lábio inferior. Outros aspectos podem estar relacionados ao desenvolvimento do câncer bucal, sendo eles infecções virais, má nutrição e uma saúde bucal deficiente. Entende-se saúde bucal deficiente quando há presença de restaurações e próteses mal adaptadas, dentes irritando a mucosa ou língua e má escovação dos dentes.
 

Sintomas
Segundo Tatiana Wannmacher Lepper, Cirurgiã Bucomaxilofacial na Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Mestra em Patologia Bucal e Doutoranda em Estomatologia pela FO- UFRGS, e seu Orientador Prof. Pantelis Varvaki Rados, o câncer de boca pode se manifestar sob a forma de feridas na boca ou no lábio que não cicatrizam por mais de 15 dia, inchaços, áreas de dormência, dentro da boca ou nos lábios. Nas fases mais avançadas pode provocar mau hálito, dificuldade em falar e engolir, caroço no pescoço e perda de peso.
 
Nas fases precoces, o câncer de boca pode ser silencioso, não apresentando dor e pode estar presente em forma de manchas brancas ou  vermelhadas (leucoplasias e/ou eritroplasias).
 
 

Prevenção

Podemos prevenir o câncer bucal evitando os fatores de risco tais como o fumo, álcool e exposição solar em excesso, mantendo hábitos alimentares saudáveis e cuidando da saúde bucal. Sabe-se que o exame clínico visual é o principal método de diagnóstico bucal. 

O auto-exame pode ser uma ótima medida para o diagnóstico precoce. No entanto, é fundamental que, na presença de qualquer alteração, o cirurgião-dentista seja consultado. As alterações visuais para suspeita de lesões potencialmente malignas incluem: alterações de textura e perda da integridade da superfície, cor, tamanho e indefinição dos limites.

Segundo Luciana Zaffari, Chefe do Serviço de Odontologia Hospitalar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, avaliações preventivas devem ser realizadas, principalmente, em indivíduos expostos aos fatores de risco. Para isto, consultar com o profissional de saúde indicado como o Dentista ou Cirurgião Bucomaxilofacial ou Estomatologista é necessário.

Clique aqui e saiba mais sobre o Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial da Santa Casa.

440 visualizações