Hospital Dom Vicente Scherer

Vida em Jogo conscientiza sobre a doação de órgãos em estádios de futebol

Publicado 18 de fevereiro de 2019
Vida em Jogo conscientiza sobre a doação de órgãos em estádios de futebol

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre promove, até o final do Gauchão 2019, o projeto Vida em Jogo, que consiste na conscientização sobre doação de órgãos nos estádios de futebol da dupla Internacional e Grêmio. 

Neste domingo (17/02), às 19h, ocorreu a segunda ação do projeto durante o jogo de Internacional x Caxias. Na ação, voluntários, funcionários da Santa Casa, transplantados e pessoas que estão aguardando em lista de espera por um órgão distribuem materiais informativos sobre a importância do tema. No intervalo do jogo, o grupo se deslocou para o meio do campo expondo uma faixa que diz #1salva8, para chamar a atenção dos torcedores presentes de que um doador de órgãos pode salvar até oito vidas. 

 

Consciência Doadora

Grupo formado por pacientes em fila de espera, pacientes transplantados, familiares, profissionais da área médica, colaboradores, amigos, simpatizantes e ativistas ligados à área de transplante. Preocupados com as estatísticas acerca da doação de órgãos no país, o grupo realiza eventos e ações que visam informar e esclarecer a sociedade sobre a causa de doação de órgãos e tecidos.

Parceiros: Santa Casa, Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Bandits Filmes e Oximed

 

A causa 

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre é um dos mais modernos complexos hospitalares do país e integrada por nove hospitais, sendo oito próprios e um sob sua gestão. Em sua estrutura, conta com o primeiro Centro de Transplantes da América Latina - localizado no Hospital Dom Vicente Scherer - que realiza, a cada ano, mais de 600 transplantes de órgãos. Realiza mais da metade de todos os transplantes que ocorrem no Rio Grande do Sul, sendo referência na área em todo o Brasil. A unidade possui capacidade física e assistencial para realizar o dobro do número de procedimentos deste tipo, sendo necessário, para isso, a ampliação do debate sobre o tema. Atualmente, mais de 40% das famílias não autorizam a doação de órgãos, e manifestar o desejo de ser um doador é fundamental para que cada vez mais vidas possam ser salvas. Mais de 30 mil pessoas estão na lista de espera por um órgão no país. 

 

1019 visualizações