Hospital Santa Rita

Santa Casa compartilha inovação com Beneficência Portuguesa de São Paulo

Publicado 03 de setembro de 2018
Santa Casa compartilha inovação com Beneficência Portuguesa de São Paulo

Na manhã desta segunda-feira (03/09), profissionais do Hospital Santa Rita da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre participaram de videoconferência com especialistas do Hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo, para compartilhar a inovação tecnológica BhioQap, desenvolvida no hospital gaúcho. Trata-se de método para o tratamento de carcinomatose peritoneal (situação em que o câncer se espalha pelo peritônio) em uma abordagem terapêutica denominada quimioterapia aerossolizada (PIPAC, que significa Pressurized Intraperitoneal Aerosol Chemoterapy), que acessa a área a ser tratada através de um método minimamente invasivo, potencializando a efetividade da aplicação do medicamento. Mais de 10 profissionais da instituição participaram da atividade, que serviu como suporte para que o hospital paulista possa realizar a primeira utilização do BhioQap em São Paulo. "A excelência assistencial da Santa Casa, aliada com o uso de tecnologias inovadoras, nos permite cada vez mais proporcionar uma melhor qualidade de vida aos nossos pacientes. Compartilhar nosso conhecimento técnico e científico com colegas de outros hospitais, amplia o nosso alcance na vida das pessoas", avalia o diretor médico do Hospital Santa Rita, Carlos Eugênio Escovar.

Inédito nas américas, o dispositivo foi 100% criado no Rio Grande do Sul em uma parceria entre a BhioSupply com o Serviço de Cirurgia Oncológica do Hospital Santa Rita, pesquisadores da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, além do pesquisador francês Olivier Glehen. A tecnologia, aprovada na ANVISA como única disponível para este tipo de tratamento no Brasil (já difundida na Europa), simplifica e reduz a complexidade da cirurgia para aplicação de quimioterápico através de um acesso único, menos invasivo, e que garante uma recuperação mais breve aos pacientes. "Diferente das abordagens tradicionais, a PIPAC é um procedimento minimamente invasivo que busca oferecer um novo controle da carcinomatose de forma mais efetiva", informa Dr. Antônio Nocchi Kalil, chefe do Serviço de Cirurgia Oncológica. O especialista afirma que essa nova técnica de aplicação de quimioterapia intra-peritoneal tem demonstrado benefício no controle dos sintomas relacionados a carcinomatose, melhorando a qualidade de vida dos pacientes com essa doença. O uso da quimioterapia aerossolizada pode ser sinônimo de esperança para os pacientes que sofrem com esta doença, como explica o cirurgião Dr. Rafael Seitenfus: "as primeiras evidências do uso desta nova técnica apontam uma resposta significativa em alguns casos, podendo resgatar esses pacientes à um tratamento com intenção curativa numa doença que determinava um prognóstico sombrio sem chance de cura até então".

Câncer de peritônio
Segundo o INCA, 60 mil novos casos de câncer intraperitoneal são registrados a cada ano no país. Entre os principais tipos estão o câncer de intestino, ovário, útero, estômago e pâncreas. Devido a sua complexidade, são necessários profissionais altamente capacitados e uma infraestrutura de ponta para a realização de cirurgias que visam a redução do tumor, e a posterior melhoria na qualidade de vida do paciente.


Texto: Adriana Contieri Abad
Foto: Alexandre Fritsch


319 visualizações