Institucional

Santa Casa adquire equipamento computadorizado de reabilitação robótica

Publicado 07 de dezembro de 2018
Santa Casa adquire equipamento computadorizado de reabilitação robótica

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre é o primeiro hospital da América Latina a contar com a tecnologia de última geração de reabilitação robótica Erigo®, que permite que o paciente inicie o seu processo de recuperação pós-cirúrgica ou posterior a um AVC, por exemplo, de forma precoce e segura. Disponível a pacientes do Sistema Único de Saúde e adquirida por meio de recursos oriundos do Fundo do Idoso, a reabilitação robótica é um equipamento que auxilia o ganho funcional do paciente, que começa a desenvolver mais controle sobre, especialmente, as suas pernas. "Ao fazer isso, ele melhora a musculatura, o coração, os pulmões e o sistema nervoso central. Tudo isto está interligado, pois na medida que uma pessoa tem uma doença que afeta algum desses órgãos, tecidos ou sistema, a reabilitação robótica auxilia na melhora mais rápida desses problemas", explica Rodrigo Plentz, coordenador do Serviço de Fisioterapia da Santa Casa.

O equipamento foi desenvolvido principalmente para pacientes que estão internados em Unidades de Terapia Intensiva, para que estes possam rapidamente ficar em pé e mover-se. Plentz complementa: "Com o desenvolvimento do conhecimento e da tecnologia, hoje ele também é utilizado ambulatorialmente para melhorar e facilitar os ganhos motores neuromusculares de várias doenças. Inicialmente, seu uso era dedicado a pacientes que tinham passado por problemas neurológicos (como AVC) ou cirurgias neurológicas e agora, mais recentemente, também está sendo utilizado para pacientes que estão em ventilação mecânica - ou seja, que estão em cuidados intensivos -, ou mesmo a aqueles que fizeram cirurgias de grande porte, promovendo uma reabilitação precoce".

O Erigo® é uma solução terapêutica que combina a verticalização gradual, a mobilização das pernas e a estimulação sensório-motora intensiva do paciente. Além disso, a sua utilização durante a fisioterapia traz benefícios como: melhora cardiovascular, neurológica, muscular e metabólica; podendo ser utilizado em pacientes pós AVC, cirurgias em geral, doenças cardíacas e pulmonares. O fisioterapeuta explica que, antes da reabilitação robótica, o tratamento era realizado especialmente através das mãos dos fisioterapeutas, de uma forma mais passiva. "É difícil colocar um paciente em pé e fazer com que ele contraia os seus músculos e se mova. Agora, a tecnologia associada com maca que o deixa em pé, e aparelhos que fazem eletroestimulação para contrair os músculos, faz com que ele possa se mover muito mais rapidamente e consequentemente, se recuperar mais rápido", finaliza.

 

Assessoria de Imprensa da Santa Casa

Texto e foto: Adriana Contieri Abad


436 visualizações