Banco de Leite Humano

 

O Banco de Leite Humano é um lugar de apoio, incentivo e estímulo ao aleitamento materno. Além de auxiliar as mães a amamentarem, realiza a coleta, armazenamento e processamento do leite coletado.

O Banco de Leite Humano é aberto a toda comunidade. Qualquer mulher que esteja amamentando e que precisa ajuda neste processo ou que deseja doar seu excedente de leite, pode procurar o banco.

 

Confira depoimentos de doadoras e receptoras de leite humano:

Doadora: Nalva Faleiro, mãe da Alice.

Qual a importância de ter sido uma doadora de leite?
Além do mais importante, que foi ajudar outros bebês, ser doadora me ajudou a manter a produção de leite e continuar amamentando a minha filha, que agora tem 1 ano e 1 mês.

Que recado você daria para os bebês que foram beneficiados?
Que fico muito feliz em pensar que com o leite doado pude ajudá-los a ir para casa junto de seus familiares, mais rápido e com saúde.

Que recado você daria às mamães que tem excesso de leite e não sabem o que fazer?
Se é mãe e amamenta, doe leite materno. Qualquer quantidade é importante. Entre em contato com um banco de leite humano, você vai ajudar muitos bebês e muitas mamães!

Doadora: Mariana Lock, mãe do Gabriel.

A experiência que tive em doar leite aos bebês da Santa Casa foi ímpar. Tive a oportunidade de fornecer além de alimento, amor e esperança. Espero que estes pequeninos estejam hoje fortes e saudáveis.

Receptora: Priscila Fernandes da Rosa, mãe da Lívia.

Qual a importância de ter recebido doação de leite para sua filha?
Minha filha recebeu a doação do leite materno no momento mais importante de seu desenvolvimento. A Lívia nasceu prematura extrema de 29 semanas e pesando 790g. Ela começou a mamar 1ml, 2ml, 3ml, a cada 3 horas e assim sucessivamente. Quando começou a mamar, não foi o meu leite que ela recebeu, mas sim o de uma doadora. Eu estava muito abalada e mal conseguia coletar do meu próprio leite e por ela ser muito pequena, ela não poderia tomar suplemento. Eu devo meus sinceros agradecimentos a essas doadoras, pois em um gesto tão nobre, mesmo sem saber, ela se tornava um anjo em nossas vidas. Cada ml recebido era uma vitória imensa para nós e para o desenvolvimento da nossa pequena!

Que recado você daria para as mães que doaram?
Eu quero agradecer, pois para uma mãe de UTI é muito difícil manter uma grande produção de leite. Toda mãe sente uma dor enorme quando um filho adoece e nós vivemos muitos altos e baixos dentro de uma UTI. Lembro que, quando eu e outras mães nós encontrávamos na sala de ordenha do hospital, era uma festa quando uma de nós conseguia coletar 5, 6 ml de leite. Muito chorei por isso, muito fui amparada pelas mães que doaram ao banco de leite. Às vezes quando a Lívia perdia peso eu não conseguia coletar nada, e foi graças às doaras que minha filha se alimentou quando o meu próprio leite faltou! Foi graças a essas mães que doaram que ela conseguiu se desenvolver até poder se alimentar do suplemento.

Quero aqui agradecer também ao Banco de Leite da Santa Casa de Porto Alegre por amparar todas nós no momento mais difícil de nossas vidas. São gestos como uma doação ou como uma palavra amiga das trabalhadoras do banco de leite que encontramos conforto ao nosso machucado coração!

Que recado você daria às mamães que tem excesso de leite e não sabem o que fazer?
Toda mãe sonha em poder amamentar. Mas por obra do destino nem sempre esse sonho é possível. Não é fácil ver um bebê tão frágil e indefeso dentro de uma incubadora lutando diariamente por sua vida e muitas vezes cheios de aparelhos que são de extrema necessidade pela sua sobrevivência. Todos esses fatores são como bombas para uma mãe de UTI Neo e nesse momento nossa produção fica no zero. Por isso, fica aqui um apelo de uma mãe de Neo que passou por todos esses momentos: se tu tens uma boa produção de leite, por favor, seja uma doadora. Você estará mais que doando o seu excesso de leite materno, você estará doando vida! Você estará ajudando um anjo(a) guerreiro(a) e estará amparando uma mãe de UTI!

Receptora: Gislaine Ferreira, mãe do Tiago e do Daniel.

Qual a importância de ter recebido doação de leite para seus filhos?
Meus filhos tiveram a oportunidade de receber mais saúde e vida, multiplicadas através do leite de outra mamãe, e dessa forma estão crescendo e se desenvolvendo muito mais saudáveis.

Que recado você daria para as mães que doaram?
O gesto de amor das doadoras com nossos filhos também se estende a nós, suas mamães. Esse é um amor que se multiplica em nossos corações! Obrigada por dividirem seu amor com meus filhos!

Que recado você daria às mamães que tem excesso de leite e não sabem o que fazer?
Doar seu leite materno é dividir o amor que você tem por seu filho com outros bebezinhos também. Doe leite materno! Doe amor!

Receptora: Vanessa Carniel, mãe do Gabriel e Muriel.

Sou mãe de gêmeos e após o parto não conseguia ir ao banco de leite, devido a complicações no pós-parto, não conseguindo deixar leite o suficiente para meus meninos terem o dia inteiro. Então, muitas vezes, geralmente à noite, era pego do banco de leite. O fato de ter o banco de leite à disposição de mães com pouco ou nada de leite, ou até mesmo não tendo condições de comparecer em todos os turnos, contribui com o aumento de peso e a saída rápida das crianças da UTI Neonatal.

 

Quem pode doar leite

Qualquer mulher que esteja amamentado, com excedente de leite no peito e que seja saudável. Não pode ser fumante, usuária de álcool ou drogas.

 

O que é necessário para ser doadora

Se cadastrar no Banco de Leite Humano, trazendo seus exames do pré-natal para avaliação. Após o cadastro o leite pode ser retirado no Banco de Leite ou em casa, seguindo orientações recebidas.

 

Como se dá o processo de cuidados com este leite doado

O leite será analisado físico, químico e microbiologicamente, passará pelo processo de pasteurização e somente após, será utilizado para os bebês internados.

 

Quem vai receber o leite

Bebês internados na neonatologia, cujas mães não produzem leite em quantidade suficiente ou não poderão amamentá-los. A maioria destes bebês é prematuro.

 

Lembre-se: A doação do excedente de leite não diminuirá a sua quantidade de leite. Quanto mais leite “sai” da mama, mais a mama irá produzir.

 

 

Cuidados no momento da ordenha (retirada) do leite e armazenamento

-Lavar bem as mãos e antebraço

- Retire adornos, proteja a boca e o nariz com mascar ou pano limpo

-Prenda os cabelos com touca ou uma toalha

-Lave as mamas com água e retire as primeiras gotas e/ou jatos de leite, desprezando-os

 

Recipiente para coleta: Frascos de vidro com tampa plástica (sem o papelão do interior da tampa). Este frasco deve ser lavado com água e detergente neutro. Ferver o vidro e tampa por 15 min. Deixar secar naturalmente, emborcado em pano limpo.

Se for utilizar esgotadeira (aparelho de tirar leite) para retirar leite, deve passar pelo mesmo processo.

Após esgotar a mama (retirar o leite), o frasco deve ser armazenado no freezer, etiquetado com identificação do nome, data e hora da 1ª coleta.

As próximas ordenhas podem ser feitas com o auxílio de uma xícara limpa e fervida previamente.

Junte o leite coletado ao leite pré-congelado.

 

Após a coleta, o que fazer:

- O leite pode ficar armazenado até 15 dias no freezer e/ou congelador.

- Se o leite será trazido p/ o Banco de Leite Humano, deve chegar no máximo até 10ºdia.

- Para o transporte – o leite deverá ser transportado congelado em isopor ou caixa isotérmica, limpos e íntegros, sem gelo até o Banco de Leite Humano o mais rápido possível.

 

A Santa Casa tem parceria com os Bombeiros e o Rotary que fazem a busca do leite na cada da doadora, caso necessário.

Entre em contato para mais informações: (51) 3214.8284

 

 

Informações importantes

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento exclusivo, sem complementar com nenhum alimento ou líquido, até o 6° mês de vida. Deve-se continuar amamentando até os dois anos ou mais, iniciando a introdução gradual de outros alimentos após o 6° mês.

O leite materno contém todos os nutrientes necessários, inclusive água, para o bebê ser saudável nos primeiros anos de vida. É rico em anticorpos, o que previne uma série de doenças, principalmente respiratórias e digestivas. Evita alergias, doenças crônicas e estimula o desenvolvimento mental do bebê.

É fortalecido  o vínculo afetivo  durante a amamentação, principalmente entre mãe-filho pelo contato pele a pele, o que facilita os relacionamento futuros da criança com outras pessoas.

Amamentar ajuda a mãe a retornar seu peso anterior à gestação; aumenta a auto-estima; diminui o sangramento pós parto e estudos evidenciam a diminuição do risco de desenvolver câncer de mama e ovários nas mulheres que amamentaram.

 

Por que não usar chupetas ou mamadeiras?

Costumam modificar a forma do bebê sugar no peito, o que pode levar ao desmame precoce. A amamentação auxilia no desenvolvimento da musculatura facial e arcada dentária, o que pode ficar prejudicado com o uso de bicos e mamadeiras. Usar estes utensílios também aumenta a chance da criança contrair infecções, seja pela contaminação dos mesmos, como a forma inadequada de respirar o que facilita o aparecimento de doenças respiratórias.

 

Cuidados que facilitam a amamentação

Procurar manter-se relaxada ao amamentar: fatores com o estresse, medo, ansiedade dificultam a amamentação

Mamas muito cheias podem tornar-se difíceis para o bebê sugar, o que pode ocasionar o aparecimento de lesões mamárias (rachaduras ou fissuras).

Ofereça com mais freqüência o peito ou extraia o excedente de leite para evitar o engurgitamento mamário que pode evoluir para mastite.

Às vezes o bebê não está “pegando” corretamente o peito, podendo ocasionar as “fissuras”. Estimule-o a abocanhar quase toda a aréola, para não sugar somente no mamilo.

Após o nascimento, os bebês mamam com muita frequência. Não imponha horários fixos nem limite o tempo do bebê sugar o seio. É importante que ele esvazie bem uma mama para depois passar para a outra. O leite do final da mamada é rico em gorduras que vai fazer com que ele ganhar peso adequadamente e ficar saciado.

 

 

 

 

 

Local para doação:

Banco de Leite Humano
Localização: 1º andar do Hospital Santa Clara, junto à Maternidade Mário Totta
Horário: diariamente das 7h às 12h e das 13h às 18h30, inclusive nos sábados, domingos e feriados

 

Banco de Leite Humano
Rua Prof. Annes Dias, 135 – Centro – Porto Alegre/RS
Informações: 3214.8284
e-mail: blhsantacasapoa@santacasa.tche.br